IMAGEM E AUTOESTIMA

+info: Dr. Renato J. Freitas (CRM 99768), Cirurgião Plástico, Especialista pela Sociedade, Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) São José do Rio Preto/SP

 

A deformidade da orelha em abano, frequente em 5 % da população brasileira, somente torna-se um problema de saúde quando é percebida pela crianca. Isso acontece, normalmente, após os 4 e 5 anos de idade, quando se inicia o conceito de imagem corporal. É nessa fase que as crianças com orelhas de abano passam a ser vítima de brincadeiras e apelidos na escola. O incômodo é particularmente maior entre os 7 aos 10 anos. É preocupante, pois essa fase é crucial para o desenvolvimento adequado da autoestima e, submeter uma criança a brincadeiras cruéis, pode trazer resultados desastrosos para o desenvolvimento da personalidade. Angustiadas, elas se privam de atividades que exponham as orelhas como, por exemplo, prender o cabelo, nadar e praticar alguns esportes, com o intuito de “esconder” o problema. Quando os pais, professores ou familiares próximos notam tais comportamentos, é recomendável procurar a ajuda de um especialista. A otoplastia é um procedimento simples de baixo risco, que pode ser feita a partir de seis anos de idade, inclusive com anestesia local, no momento quando a orelha já atingiu o tamanho do adulto. O assunto deve ser cuidadosamente abordado, mostrando para a criança os benefícios da correção. A criança motivada é muito mais colaborativa e facilita todas as etapas do tratamento. O maior patrimônio que podemos deixar aos nossos filhos é a sua saúde mental. Nada é mais importante do que proporcionar segurança, autoestima e bem-estar para uma criança.

Não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

CONTATO

Av. Nadima Damha, nº 2.045
Jardim Yolanda
São José do Rio Preto | SP
17 3305-3721, 3305-3731,
3211-9860, 3235-1821
17 99627-0999 (Whatsapp)
comore@revistainterarq.com.br

Pautas
Sugestões enviar para redacao@comore.com.br